Sílvia @ 18:13

Sab, 24/03/12

 

Com o decurso do tempo aprendi. Como vai sempre acontecendo (ou não...) com cada um de nós. (atenção, desaprender também faz parte do ciclo). Apaixonada pensei ser a paixão um estado de alma facilmente atingível. Desapaixonada percebi que é afinal um estado de alma que se ausenta por tempo indeterminado. Essa paixão parcial é apenas uma parte de algo maior. Parcialmente a paixão surge aqui e ali com a facilidade com que se dá a volta ao quarteirão (ou quase). De forma ainda mais efémera e dessubstanciada. Estamos vivos. Sentimos. E logo a seguir voltamos a sentir, que se foi, como veio, do nada. A paixão por um homem completo é desafiante, interrogativa e invasiva, e estranha ao ponto de abranger as piores partes.

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres